POLÍCIA PARA QUEM PRECISA

No Brasil ocorre um fenômeno: os policiais não recebem salários dignos, não são valorizados e por mais incrível que possa parecer, mesmo ao se defenderem ou às vítimas do crime, são sempre responsabilizados pelo resultado da falta de vergonha e de honestidade dos bandidos e também daqueles que se julgam do bem, mas que cometem atos do mal. Continuar lendo

VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES

Esse é um tema extremamente delicado, mas que continua ainda em segundo plano: a violência contra as mulheres.
Apesar de alguns avanços, como por exemplo, a Lei Maria da Penha, muita coisa ainda precisa ser feita.
As mulheres continuam sofrendo todo tipo de agressão.
A senhora sabia que os casos de estupro superaram os de homicídio no ano passado ?
O senhor sabia que o número de estupros subiu 18,17 % em 2012 ?
Em todo o país, foram registrados mais de 50 mil casos. Isso corresponde a 26,1 estupros para cada 100 mil habitantes.
Esses números também refletem o aumento em relação a 2011, que era de 22,1.
Já ouvimos inúmeras baboseiras para justificar esses crimes, do tipo: “ela usava mini saia” ou então “as roupas que ela estava usando…” … ou “pudera com aquele corpo” e por aí vai.
Seja qual for o argumento bestial, nada poderia justificar tais agressões.
E os crimes não param por aí. Existem ainda e em grande escala, os crimes que acontecem dentro da própria casa da vítima.
O próprios parentes violentam mães, filhas, sobrinhas, primas, sem falar nas enteadas e afilhadas. Nem as avós escapam dos agressores.
Cada um com seus motivos, mas o que deve ser lembrado é que essas mulheres ficam com marcas para o resto da vida e muitas vezes sofrem em silêncio.
Medo da repressão, medo de ser incompreendida, medo de cair na boca do povo, medo de apanhar mais ainda ou até mesmo medo de morrer. Enfim a sociedade precisa dar um basta nisso tudo e sem dúvida a atitude dos agentes públicos é de extrema importância.
Existe uma pesquisa realizada pela Secretaria de Transparência do Senado, que estima que mais de 13 milhões e 500 mil mulheres já sofreram algum tipo de agressão. Isso quer dizer quase 20% da população feminina com 16 anos ou mais. Destas, 31% ainda
convivem com o agressor.E o pior: das que convivem com o agressor, 14% ainda sofrem algum tipo de violência.
Sabemos que muitas mulheres, não denunciam a violência sofrida, também por não acreditar na resposta do Estado, mas se existe uma coisa importante para tentar dar um basta nisso…é a sua palavra.
A maior arma contra esses agressores é a denúncia.
Denuncie para a polícia e se nada fizerem, procure a Corregedoria na Secretaria de Segurança, o Ministério Público, a prefeitura, enfim todos que consigam tratar de forma especial esse delicado assunto.
Em Brasília e em muitos outros estados, existem secretarias de mulheres, que também se preparam para auxiliar as vítimas a se reerguerem junto à sociedade.
Não se cale! E pode contar com o meu apoio nessa bandeira que é de todos nós.