Reforma das Leis : Solução para a ineficiente investigação criminal

Surpreendentemente a polícia começa a dar sinais de que realmente não consegue superar a criminalidade.
Chega de ficar mascarando os números da violência e dizer que conseguiu com seu eficiente trabalho reduzir esse ou aquele crime.
É simplesmente querer tapar o sol com a peneira.

 Agora começo a pensar que teremos alguma chance.
A polícia quando fica apenas justificando os porquês, muitas vezes usa mais o seu potencial para dar um jeito, do que de fato para resolver o problema.

Sem dúvida o criminoso de modo geral não confia na polícia e muito menos a respeita, somente a teme e olha lá.
O fato principal é que o sistema legal, muito ruim é benéfico aos organismos criminosos.
Sem sombra de dúvida, esse sistema é o nosso maior inimigo, pois a cada vez que um marginal é colocado em liberdade sem cumprir integralmente a sua pena, fica mais motivado a continuar delinquindo.

Nesse aspecto, somente poderemos de verdade ver uma luz ao fim do túnel, quando as leis forem feitas para todos e não somente para os outros.
Os parlamentares são, sem sombra de dúvida, os únicos com poder de acabar com essa bagunça chamada de código penal e processual penal.

Chega de penas de mentirinha!
Chega de recursos inesgotáveis!

Temos que dar um basta nesse ineficiente inquérito policial, que apenas serve para dar poder ao Delegado de Polícia, que se vale dessa peça medieval, para se locupletar das falhas do próprio sistema.
É fundamental, portanto, que a polícia abra o jogo e pare de fazer a politicagem dos governantes e acuse que não dá conta do recado.

Agora a responsabilidade muda de figura, que passará integralmente para o Congresso Nacional, que apesar de desgastado, pode se repaginar e salvar o cidadão de bem das garras da criminalidade.
Para que isso aconteça, é claro, precisamos de políticos sérios ou pelo menos, com medo de não se reelegerem, mas por enquanto já é um início.

Porém não se esqueçam, de que com a eficiência da polícia, os presídios atuais deverão ser reformados e outros novos precisam ser inugurados.
Nesse aspecto, chamo a atenção dos governadores por todo o Brasil. Tomem vergonha na cara e parem de fazer apenas as obras que dão voto e pensem no povo.

Construir presídios seria politicamente incorreto, pois assumem que o crime estaria avançando, porém mais incorreto ainda é o tratamento desumano aos detentos que acabam por se tornar então, irrecuperáveis.
Também, colocar na rua perigosos bandidos, para não aumentar mais ainda a superpopulação carcerária é um absurdo – um verdadeiro crime.

Assim, os juízes não mais seriam obrigados a soltar e a polícia não mais teria como justificar, o fato de não prender.

Estamos de olho!!!!

Cláudio Avelar

Cláudio Avelar
Consultor de Segurança e Análise de risco.